O que é o apoio diafragmático na técnica vocal?

A técnica vocal e o apoio diafragmático

Você certamente já ouviu algo relativo à uma certa força no apoio diafragmático caso tenha frequentado algumas aulas de canto com professores diferentes. Muitos falam até mesmo da famosa sensação de defecação para ajudar a técnica vocal (oi?), mas será que isso é realmente útil? Será que toda essa força exagerada vai te auxiliar de alguma maneira? Vejamos neste artigo!

A rigidez muscular e a técnica vocal

Antes de tudo é preciso falar que não, nenhum tipo rigidez muscular em quaisquer músculos é saudável. Pensar em fazer o apoio diafragmático com mais força, tendo a sensação de defecação, ou contraindo o abdômen é bastante prejudicial à voz e ainda pode limitar o alcance de notas mais difíceis.

o-apoio-diafragmatico-e-tecnica-vocalPara entender melhor, faça um exercício rápido. Imagine que há um objeto bem pesado no chão e tente levantá-lo com as duas mãos. Muitos músculos, braços, pernas e principalmente o abdômen estarão contraídos de forma rígida, devido ao peso imaginário, não é mesmo? Agora faça o mesmo exercício, mas tente falar ou cantar enquanto você vai subindo e levantando o objeto imaginário. A voz ficou totalmente presa, certo?

 

É isso que acontece quando o vocalista faz uma tensão exagerada, ou o que chamo de rigidez muscular. Qualquer contração exacerbada, que gere uma rigidez muscular, atrapalha a técnica vocal (e o apoio diafragmático, por consequência) porque constringe a região da garganta e acaba afetando diretamente a voz emitida. Portanto, o ideal é estar relaxado!

Claro, existe um tensionamento normal dos músculos intrínsecos da laringe para produzir o som da voz, pois há uma ação dos músculos tensores, adutores e abdutores, que atuam na inspiração e na expiração. Porém o que quero deixar claro é que você não precisa de mais força em outros músculos (como o do abdômen) para ajudar no canto e – principalmente! – nunca de forma rígida. 

O apoio diafragmático e o suporte aéreo

Agora que você já sabe que não deve deixar nenhuma região do corpo rígida, pense que o apoio deve funcionar como uma sustentação à sua técnica vocal, um suporte aéreo. Ele não deve agir como uma parede inflexível, mas sim como uma estrutura maleável e móvel, como em um estado de flutuação.

E se pensarmos mais um pouco chegaremos à conclusão de que é realmente isso que o apoio diafragmático é: um suporte! Afinal, ele acontece como uma manobra que visa manter a sensação de inspiração sobre a expiração.

técnica-vocal-apoio-diafragmaticoNo livro “Belting Contemporâneo – Aspéctos Técnico-Vocais para Teatro Musical e Música Pop“, o Maestro Marconi Araújo nomeia essa série de manobras e configurações como “floating” ou flutuação. Elas consistem, basicamente, em encontrar o equilíbrio entre o binômio propulsão-retenção, sem fazer mais ou menos pressão do que o necessário para uma boa fonação. Mas o que é esse binômio? 

Bem, a propulsão é, resumidamente, o nosso sopro. Este, com a ajuda do diafragma (um músculo que fica abaixo dos pulmões), dá o suporte aéreo adequado ao cantor, mantendo o fluxo de ar que passa pelas pregas vocais. Estas, por sua vez, controlam esse fluxo com algum nível de retenção e é na junção e equilíbrio dessas duas ações que está a chave da técnica vocal perfeita!

Como melhorar o apoio diafragmático?

Primeiramente, você deve ter o suporte aéreo como um mantra na sua cabeça. Sempre pense em manter o fluxo de ar, economizando na saída do mesmo, ou pensando na inspiração sobre a expiração.

Portanto nunca coloque mais ou menos força do que o necessário para realizar um determinado som ao trabalhar a sua técnica vocal e o seu apoio diafragmático. Nesse sentido, algo que pode te ajudar bastante é a sensação de apneia. Vamos tentar um exercício para assimilar o conceito.

Encha os pulmões abrindo as costelas e sugando o ar com um canudo imaginário. Depois, segure o ar como se você estivesse embaixo d’água. Não faça nenhuma força na garganta quando prender a respiração. Deixe todo o seu corpo livre e apenas se imagine relaxando no mar.

Agora, continue relaxado e solte o ar em “ssss” durante 5 segundos, mantendo as costelas abertas enquanto solta o ar. Lembre-se de não fechar a garganta, nem entrar em posição de rigidez muscular, pois isso é péssimo para a técnica vocal. Apenas deixe o ar sair para fora do seu corpo, sem empurrar. Bem devagar. Pronto! Se sentiu relaxado? Essa é a ideia!

Depois de alguns dias, você pode substituir esse “sss” por vogais para começar a entender o mecanismo em algo falado (como na voz muscular ou voz salmodiada que é uma voz de economia vocal) e, futuramente, cantando!

O importante aqui é fazer mudanças: troque a sensação de defecação pela sensação de apneia. Troque a rigidez muscular pela fluidez. Troque a força em excesso pelo simples suporte aéreo!

Afinal, fazendo o apoio diafragmático correto com um fluxo aéreo constante e eficiente, a sua técnica vocal será muito mais estável. Quer saber como você pode fazer isso? Então baixe o e-book gratuito “Como Aprender a Cantar” para descobrir esse e muitos outros assuntos!

Talvez você vá gostar destes artigos:

Comments

comments