Trabalhando fraquezas e qualidades numa aula de canto

Aula de Canto: Fraquezas x Qualidades

Existe um termo no mundo dos negócios chamado “Análise SWOT”. Ela é, basicamente, uma ferramenta para visualizar os pontos positivos e negativos da empresa. A partir da análise, o empreendedor consegue entender o que precisa melhorar dentro da instituição e o que deve potencializar. E porque não trazer isso para a sua aula de canto?

Na realidade, você pode utilizar esse método em qualquer âmbito da vida, mas pense na sua voz. Ela certamente tem coisas boas e ruins, não é mesmo? Então por que não mapeá-las para entender precisamente como melhorar? Continue lendo este post e descubra um pouco mais sobre o assunto!

 

A primeira avaliação

Primeira avaliação na aula de cantoÉ bastante útil e legal ser avaliado por um profissional do canto no início da sua caminhada como vocalista. Afinal, é ele que tem o conhecimento técnico para saber aonde você está errando e acertando. Com o resultado em mãos, o seu professor irá te orientar e encurtar o caminho para o bom desenvolvimento da sua voz sem prejudicar o seu trato vocal dentro de uma aula de canto.

É claro que também é possível fazer uma auto avaliação, mas saiba que há um certo risco envolvido nisso. Isso porque, em geral, o aluno não tem o conhecimento necessário para se auto avaliar. Se esse for o seu caso, você pode acabar danificando o seu trato vocal com interpretações incorretas do que pode ser melhorado.

Por exemplo, você pode entender que a sua voz está com pouca potência, mas qual é a causa disso? Soprosidade? Voz presa? Timidez? E quais seriam os exercícios que poderiam te ajudar? Quais seriam os exercícios que não podem te ajudar?! Qual é rotina a ideal para melhorar a sua cantabilidade? Existem algumas ações além do canto que podem te ajudar a ganhar mais potência? São questões que apenas um profissional pode solucionar.

Trabalhando as fraquezas na aula de canto

Não se assuste caso você tenha muitas fraquezas ou algumas que nunca imaginava! Afinal, estamos apenas no início do caminho e é sempre bom acabar com os problemas ainda no começo, não é verdade? Esse é o momento que você e o seu professor (ou apenas você) trabalharão em conjunto na aula de canto para eliminar os pontos fracos. É um caminho longo, mas acredite em mim: também é muito prazeroso!

Essa eliminação dos pontos fracos acontecerá por meio de exercícios direcionados às suas dificuldades, a aplicação deles dentro de músicas que explorem as suas fraquezas e, por fim, a execução completa da obra. Por exemplo, você pode precisar de um pouco mais de brilho nas notas agudas ou médio agudas e, por isso, pode seguir essas seguintes etapas:

  • Fazer escalas ascendentes e descendentes com a sílaba “nhé”
  • Cantar uma música pré selecionada durante a aula de canto somente com a sílaba “nhé”
  • Depois de dominar alguns trechos, cantá-los com a letra original e utilizar o “nhé” nas partes difíceis
  • Cantar a música toda com a letra original!

É claro que esse é apenas um exemplo básico, pois durante esse processo você pode encontrar outras fraquezas (ou qualidades!), precisando redirecionar o foco. O importante é perceber que isso pode ser um pouco demorado, dependendo da sua dedicação e do desenvolvimento dos seus músculos. Pensando nisso, vale ressaltar que aqui a ansiedade é o grande problema de muitos alunos.

Não pense que você irá acabar com todas as imperfeições vocais em um ou dois meses. Todo o processo vai depender da sua dedicação e também da sua musculatura, como dito. Afinal, a voz e o canto funcionam através de um conjunto de ações dos músculos intrínsecos da laringe combinados ao suprimento aéreo, então podemos associar relativamente o trabalho vocal com a musculação.

Você só consegue resultados dentro de uma academia pouco a pouco até a musculatura se adaptar por completo, certo? O mesmo acontece numa aula de canto: os resultados só serão visíveis depois de se dedicar por algum tempo e da adaptação do seu organismo!

Explorando as qualidades na aula de canto 

Aula de Canto: Fraquezas x QualidadesAgora vamos à parte legal! Não é porque você e o seu professor identificaram algumas fraquezas que apenas estas serão trabalhadas na aula de canto. Pelo contrário, você deve usar (e quase abusar) das suas qualidades!

Todo cantor ou instrumentista tem aquilo que é a sua marca registrada, aquilo que faz com que o reconheçam sendo único, como os belos graves da Cássia Eller, o jeito meio declamativo do Tom Zé, as interpretações da Elis Regina, o groove do Tim Maia etc. Então porque você não pode ter o mesmo?!

Depois de identificar aquilo que é o mais legal da sua voz, invista nisso. Por exemplo, se você e o seu professor de canto identificarem durante a aula de canto que seus vibratos são tão bonitos quanto os do Robert Plant, porque não aproveitá-los mais? Tente usar as suas qualidades dentro do seu repertório e mostre a sua identidade!

Mas claro, sempre faça apenas o que a música pede. Afinal, mesmo que você tenha melismas maravilhosos, será que essa é uma técnica que se encaixa em alguma música do Zé Ramalho, como a Avôhai? E nas suas músicas? Será que os vibratos já não estão aparecendo em um nível suficiente? Lembre-se sempre de utilizar as suas armas conscientemente e você será um cantor completo!

Viu como é possível desenvolver a sua voz em uma aula de canto e se tornar o vocalista que sempre sonhou, trabalhando as suas fraquezas e potencializando as suas qualidades? O caminho pode ser longo, mas vale a pena. E, como dito no início do texto, é sempre válido ter uma mão para te ajudar. Então, sinta-se à vontade para fazer um Diagnóstico Completo da Voz comigo e saber exatamente o que você precisa trabalhar!

Comments

comments